Você está aqui: Página Inicial Notícias Recital de Trio Bosisio-Pilger-Barrenechea 15/09/2015 às 19:00h

Recital de Trio Bosisio-Pilger-Barrenechea 15/09/2015 às 19:00h

A Série UNIRIO Musical apresenta o Recital com Paulo Bosisio, Hugo Pilger e Lúcia Barrenechea. Sala Villa-Lobos 15/09/2015 às 19h Repertório: Trios de Beethoven e Brahms

PROGRAMA

Beethoven, Ludwig van (1770-1827) Trio Opus 1 nº 3 em Dó menor
I. Allegro con brio
II. Andante cantabile con variazione
III. Menuetto quasi allegro
IV. Prestíssimo.

Brahms, Johannes (1833-1897) Trio nº1 em Si maior Opus 8
I. Allegro con brio
II. Scherzo – Allegro molto
III. Adagio
IV. Allegro

Paulo Bosísio, violino
Hugo Pilger, violoncelo
Lúcia Barrenechea, piano
PAULO BOSISIO

Paulo Bosisio é hoje um dos mais destacados nomes no cenário musical brasileiro, como violinista concertista, camerista e pedagogo. Nascido em 1950 no Rio de Janeiro, estudou com Yolanda Peixoto e posteriormente na Europa com Berta Volmer e Max Rostal, como bolsista do Governo Alemão. Formou-se na classe daquele afamado mestre, com grau máximo e distinção, obtendo o diploma de “Konzertexamen”, o título mais alto conferido a um instrumentista na Alemanha. Foi premiado duas vezes em concursos de violino das Escolas Superiores de Música da Alemanha. Na qualidade de concertista, apresentou-se em Tournée como solista de orquestra, recitalista e camerista por toda a Suíça e Alemanha, além de diversas cidades da Itália, Grécia, França, Inglaterra, Escócia e Portugal. Solou com todas as maiores orquestras brasileiras e realizou importantes Tourneés camerísticas como primeiro violino do “Quarteto Paulo Bosisio”, do “Quarteto da Universidade Federal Fluminense” e com o duo “Paulo Bosisio – Lílian Barreto”. Regeu inúmeras orquestras de câmara, entre elas a “Camerata de Curitiba”, gravando com a mesma o seu primeiro disco de música brasileira contemporânea. É professor da Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), e professor convidado em diversos seminários de música por todo o país, e por tantos méritos pedagógicos foi citado pelo crítico de música do “Jornal do Brasil”, Luís Paulo Horta, já em janeiro de 1984, como “aquele que vai se tornando, sozinho, uma verdadeira escola de violinistas”. É fundador do Quarteto Bosisio, com o qual possui um extenso currículo e membro vitalício da Academia Brasileira de Música desde 2007. Alguns de seus alunos foram premiados em importantes concursos internacionais, como os de Vercelli (Viotti) e Zino Francescatti (Marcelle), assim como em todos os concursos nacionais, sem exceções. Bosisio estreou diversas obras em primeira audição, a maioria dedicada a ele, tornando-se um dos mais empenhados executantes de música brasileira contemporânea. Gravou como solista de orquestra e quartetista na Europa e no Brasil, além de gravações para a BBC (Inglaterra) e a Rádio do Oeste Alemão (Alemanha). Em Juiz de Fora, um concurso bienal traz seu nome, “Concurso Paulo Bosisio”, promovido pela Pró-Música de Juiz de Fora. Mereceu da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro uma “Moção de Louvor”, em reconhecimento aos seus méritos no Exterior. Mereceu do célebre Mestre Max Rostal, considerado na sua época o mais importante da Europa, elogios como “... Bosisio é um excelente violinista com grandes aptidões técnicas, que terá muito êxito como professor, representando minha escola com convicção”.

HUGO PILGER

Mestre em música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Hugo Pilger nasceu em 1969 na cidade de Porto Alegre-RS. Iniciou seus estudos de violoncelo na Fundarte (Fundação de Artes de Montenegro-RS) com o professor Milton Bock e posteriormente passou a estudar no Rio de Janeiro com o professor Marcio Malard. Formou-se no curso de Bacharelado em Instrumento Violoncelo na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) na classe do professor Alceu Reis. Como solista já se apresentou a frente de várias orquestras, dentre elas: Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra do Teatro da Paz, Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Ouro Preto, Orquestra Sinfônica Nacional, Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e Orquestra Sinfônica Brasileira. Realizou turnês como solista e camerista em diversos países da Europa, América do Sul e do Norte. Em 2006 fez a estreia no Brasil da importante obra para violoncelo e orquestra Tout un Monde Lointain do compositor francês Henri Dutilleux e em 2009 a estreia sul-americana do concerto para violoncelo e orquestra Pro et Contra do compositor estoniano Arvo Pärt. Das obras que lhe foram especialmente dedicadas, destacam-se: Sonata nº 2 para Violoncelo Solo do compositor inglês David Ashbridge, Serenata Pro Pilger de Maurício Carrilho, Reflexões sobre a Ostra e o Vento para violoncelo e orquestra de cordas de Wagner Tiso e Sortilégios, para violoncelo e orquestra de cordas, do compositor Marcos Lucas. É primeiro violoncelo da Orquestra Petrobras Sinfônica (OPES), integrante do Quarteto Radamés Gnattali, e professor da classe de violoncelo da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde atualmente frequenta o curso de Doutorado. É autor do livro Heitor Villa-Lobos, o violoncelo e seu idiomatismo.

“Ouvi cuidadosamente sua interpretação e a descobri cheia de qualidades...”
Henri Dutilleux.

LUCIA BARRENECHEA
Pianista sensível e carismática, Lúcia Barrenechea é professora de piano e música de câmara no Instituto Villa-Lobos da UNIRIO-Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Realizou seu bacharelado em piano na Universidade Federal de Goiás, mestrado na Universidade de Boston, EUA, e concluiu seu curso de doutorado em piano na Universidade de Iowa, também nos EUA. Atuando intensamente no cenário musical brasileiro, Lúcia Barrenechea apresenta-se regularmente em recitais e atuou como solista em concertos com a Orquestra Sinfônica Estadual de São Paulo, Filarmônica de Goiás, Sinfônica de Goiânia, Sinfônica Jovem de Goiás e Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, sob a regência de Eleazar de Carvalho, Emanuel Martinez, Parcival Módolo, Fabio Mechetti e Norton Morozowicz. Reconhecida como notável pianista camerista, tem se apresentado com grandes nomes em destaque no cenário nacional e internacional. Com seu marido, o flautista Sérgio Barrenechea, forma desde 1989, o Duo Barrenechea, desenvolvendo um intenso trabalho camerístico com a formação flauta e piano. Sua discografia inclui, dentre outros trabalhos, um CD de obras para trio com piano, com a violinista Mariana Salles e o violoncelista Marcelo Salles, gravado em 2008, um CD solo, “Saracoteio - Piano Brasileiro”, lançado 2009 e o CD triplo “A Música para Flauta de Francisco Mignone”, projeto realizado por Sérgio Barrenechea, contemplado em edital da FAPERJ em 2010. Em 2009 participou, como integrante do Ensemble Unirio, do concerto em comemoração aos 20 anos de relações diplomáticas entre Brasil e Vietnã na Ópera de Hanói e de masterclasses no Conservatório de Hanói-Vietnã. Tem realizado turnês na Europa e Estados Unidos para divulgar a música de câmara brasileira. É frequentemente convidada para atuar como professora e pianista camerista dos mais diversos festivais de música do país, dentre eles o Encontro Internacional de Pianistas do Conservatório de Tatuí, Curso Internacional de Verão de Brasilia (Civebra), Festival Villa-Lobos (Museu Villa-Lobos), Festival Internacional de Metais Carlos Gomes (Campinas-SP), Festival Internacional de Flautistas da ABRAF.


« Abril 2019 »
Abril
DoSeTeQuQuSeSa
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930