Você está aqui: Página Inicial Notícias Estreia da Série Quartas Concertantes traz Doriana Mendes e Marco Lima

Estreia da Série Quartas Concertantes traz Doriana Mendes e Marco Lima

O Museu Villa-Lobos, em parceria com o Instituto Villa-Lobos/CLA/Unirio, convida para o Concerto "De Villa-Lobos aos Dias Atuais" com Doriana Mendes e Marco Lima Série "Quartas Concertantes" quarta-feira 25 de abril de 2018 às 14:00 Local e hora: Sala de Exposição do Museu Villa-Lobos Rua Sorocaba, 200, Botafogo Informações: telefone 2226 9020 (Ação Educativa do MVL).

Programa do Concerto: De Villa-Lobos aos Dias Atuais

H. Villa-Lobos- “Canção do Amor” (poesia de Dora Vasconcellos)

H. Villa-Lobos- “Modinha” (poesia: Manduca Piá)

Alceo Bocchino- “Nhanderú” (poesia de Durval Borges/ transcrição para violão: Marco Lima)

H.Villa-Lobos-  “Choros nº1” (violão solo)

Rick Ventura (poesia de Márcia Jacs)- Mata Atlântica

Caio Senna- “Fim de Inverno” (poesia de Juan Ramón Jimènez, traduzido por Manuel Bandeira)

César Guerra-Peixe- Mãe D’Água

Edino Krieger- “Passacalha para Fred Schneiter” (violão solo)

Fernando Riederer- “Um Beijo” (poesia de Ana Cristina César)

Roberto Victorio- "Diário do Trapezista Cego" (poesia de Jacinto Fábio Corrêa)

A soprano Doriana Mendes e o violonista Marco Lima unem seus talentos como solistas para juntos interpretar um programa que consagra a genialidade de Villa-Lobos (1887-1959 celebrando a antiga, a nova e a novíssima geração de compositores brasileiros, assim representados pelo maestro Alceo Bocchino (1918-2013), Edino Krieger (1928-), Caio Senna (1959-), Roberto Victorio (1959-) e Fernando Riederer (1977-). Do romantismo nacionalista ao modernismo de poetas de estirpe como Manuel Bandeira, passando pelos cariocas contemporâneos Ana Cristina César e Jacinto Fábio Corrêa, que retratam temas da atualidade nas letras das canções, expomos um panorama da canção de câmara brasileira. A parceria de Marco e Doriana explora a integração do violão e da voz, com o intuito de divulgar não só a brasilidade do cancioneiro do mestre Villa-Lobos mas também um repertório de sonoridade muito nova para a escuta do público.

Doriana Mendes- Cantora, Atriz-Bailarina. Bacharel em Canto e Mestre em Música, desde 2013 é professora de Canto na UNIRIO. Doutora em Música pela mesma instituição com a tese “O Discurso não-Semântico na Música Eletrovocal”. Em seu mestrado obteve bolsa do CNPq e da FAPERJ, desenvolvendo pesquisa sobre o intérprete contemporâneo. É membro fundador da ABRAPEM (Associação Brasileira de Performance Musical). Em dezembro de 2016 foi contemplada pela FAPERJ para orientar um projeto de pesquisa em artes que resultou, em 2017, na montagem da ópera contemporânea inédita “Na Boca do Cão”, interpretada pela soprano Gabriela Geluda. Em 2016 protagonizou a estreia da ópera Medeia de Mario Ferraro na 1ª edição da Bienal de Ópera Atual realizada pela FUNARTE. Apresentou-se na Alemanha, França, Irlanda, Portugal, Chile, Bolívia, Argentina, México e em todos os Estados do Brasil. Com o Duo Laguna obteve o 1º Prêmio no Concurso Souza Lima 1999 e foi solista do Calíope, Prêmio Carlos Gomes 2002. Realizou em 2011/2012 junto ao Quarteto Colonial mais de 100 concertos na tournée Sonora Brasil-SESC, a maior série de circulação de música nacional. Sua discografia conta com mais de 20 CDs publicados, em estilos desde a música antiga medieval, passando por teatro musical à música contemporânea. Nesta área é solista do Abstrai Ensemble, dirigida pelo saxofonista Pedro Bittencourt e desde 2006 formou, com Bryan Holmes, o 2Dbduo especializado em obras eletrovocais cênicas e acusmáticas. Com Tim Rescala vem trabalhando já há mais de vinte anos em espetáculos musicais como Pianíssimo dirigido por Karen Acioly, a ópera A Redenção pelo Sonho e na recente montagem da Cia. Pequod (Miguel Vellinho) A Feira de Maravilhas do Barão de Munchausen (que recebeu 9 indicações do Prêmio Zilka Salaberry/2016) onde atuou como preparadora vocal.  Atuou em Laços de Família (Rede Globo) e no elogiado musical Company (de Stephen Sondheim) da dupla Möeller & Botelho. Cantou com Sergio Dias (ex-Mutantes), Tim Maia e Jorge Benjor. Dubla canções em filmes da Disney e Dreamworks. Foi solista da Orquestra Barroca da Unirio dirigida por Laura Rónai desde 2008 e exerceu função de coordenadora vocal do grupo até 2015. Intérprete de expressivos compositores brasileiros que compõem para ela, tem realizado inúmeras estreias mundiais como solista convidada de festivais nacionais e internacionais, e também de elencos de óperas, musicais, peças de teatro e de dança.

Marco Lima - Natural de Niterói (RJ), Marco Lima iniciou seus estudos de violão com o professor Marcos Guimarães, tendo posteriormente estudado com Leonardo Loredo. Ingressou em 1998 na UNIRIO onde se formou bacharel em violão na classe de Maria Haro e concluiu o mestrado em práticas interpretativas sob a orientação de Nicolas de Souza Barros. Com bolsa do DAAD (Deutscher Akademischer Austauchdienst – Serviço de Intercâmbio Acadêmico Alemão) radicou-se na Alemanha, onde concluiu em fevereiro de 2013 o mestrado em violão na Hochschule für Musik Karlsruhe (Alemanha), na classe de Andreas von Wangenheim, tendo posteriormente estudado na Akademie für Tonkunst em Darmstadt, na classe de Tilman Hoppstock. Cursa atualmente o doutorado em música na UFRJ sob a orientação de Marcia Taborda.Foi por duas vezes professor substituto na UFRJ (2007-2008 e 2016-2017), ministrando aulas de Violão, Prática de Conjunto e Leitura à Primeira Vista. Anteriormente, lecionou no CEIM-UFF (Centro de Estudos e Iniciação Musical da Universidade Federal Fluminense), no Badisches Konservatorium, em Karlsruhe, e na Allegro Musikschule em Baden-Baden. Foi premiado 16 vezes em concursos no Brasil, entre eles estão o 1° lugar e melhor interprete de Fred Schneiter no “III Concurso Nacional Fred Schneiter” (2007), o 1° lugar no “II Concurso Nacional de Interpretação Violonística do Piauí” (2006) e  o 1° Lugar no “IX Concurso Nacional de Violão Musicalis” (2005). A Convite de Turíbio Santos, apresentou, em 2006, a integral das obras de Villa-Lobos para violão solo no “44° Festival Villa-Lobos” e em 2005 foi solista do “Concierto de Aranjuez” de Joaquin Rodrigo, no Teatro Castro Alves (Salvador – BA) com a Orquestra Sinfônica da Bahia, sob a regência de Osvaldo Colarusso. Sua atividade como solista e camerista inclui ainda apresentações em importantes espaços musicais brasileiros, como a Sala Cecília Meirelles, o Teatro Pró-Música (Juiz de Fora - MG), o MASP (SP), o Teatro Municipal de Niterói, e o Theatro 4 de Setembro (Teresina – PI). Fundou o Quinteto Violão Real e atualmente é membro do Quarteto Carioca de Violões, dirigido por Nicolas Barros. Participou em 2007, como concertista e palestrante, do “III Festival Nacional de Violão do Piauí”, e vem participando de outros eventos de destaque - em solo ou conjunto - como o “XII Festival Internacional de Violão Dilermando Reis", a “I Mostra de Violões Fred Schneiter”, na Sala Guiomar Novaes – RJ, e o “I Circuito Violão Real” (RJ/MG). Integra o Cd coletânea “Violões da Av-Rio II” e gravou o programa “Música e Músicos do Brasil” para a Rádio MEC. Participou da “XVII Bienal de Música Contemporânea” e da ”III Bienal de Música Contemporânea de Mato Grosso” com a soprano Doriana Mendes, nas quais realizou a estreia de obras de Dawid Korenchendler, Roberto Victorio e Caio Senna.

 

« Abril 2019 »
Abril
DoSeTeQuQuSeSa
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930